Foi numa quinta-feira que encontramos o Uga para a entrevista. De imediato deu para perceber que o tatuador é um cara tranquilão e sangue bom. Sorriso farto logo cedo, nos recebeu em seu Studio e conversou sobre família, tatuagem, arte e surf. Ele é apaixonado pelo embalo do mar. Para ele, deslizar sobre as ondas é mais que praticar um esporte é pura energia. E olha que a praia mais próxima apta para a prática é Algodoal que fica a 87 km de Castanhal.
Como paixão não se escolhe (você é escolhido por ela), o tatuador revela que não consegue imaginar a vida sem o surf. E já tem 24 anos que Uga conheceu o esporte por meio de um amigo de trabalho. De prancha emprestada, entrou no universo diferente com alimentação regrada e saudável, mudou hábitos e passou a dormir cedo. “A galera tem um astral com harmonia total. Isso me deslumbrou com tanta coisa massa, uma galera que estava sempre sorrindo e boa camaradagem,” revela.
Desde que subiu na prancha, a paixão e necessidade de se encontrar com o mar são constantes. “Não consigo viver sem o surf, faz parte da minha vida. Sem ele, eu não consigo produzir muita coisa. Surfo por amor e respeito à natureza sempre.”
A filosofia de vida de quem pratica o esporte foi adotada pelo tatuador de forma natural, e toda a família o acompanha nas viagens que são outras experiências de boas histórias. A busca pelas ondas já o levou a conhecer as praias daqui do Pará, do litoral paulista e do Nordeste brasileiro.
Uga conta que já viveu verdadeiras aventuras por conta da paixão. Como ser atingido por uma caravela e ter sofrido várias queimaduras pelo corpo e outros tombos no mar.
Como todo apaixonado, Uga tem um carinho enorme pelas pranchas, a predileta é alvo de atenção redobrada. Aos 41 anos conta que o melhor de tudo é que a prática não tem preconceitos. “O surf não tem cor, credo ou idade. Está integrado, é harmonia total com o universo”.
Apesar de ser um esporte individual, Uga conta que encontrou uma tribo. “Somos uma família. Sempre tem um brother que lhe dá um arrego onde você for atrás de ondas. Seja no seu litoral ou do outro lado do mundo, surfista é surfista,” finaliza deixando boas vibrações e o convite para buscar ondas radicais.