Com D’ Pádua

Poesia e música, assim podemos definir o cantor e compositor D’ Pádua. Um artista de mão cheia, como costuma-se dizer por aqui. Para você ter ideia, ele tem mais de 130 músicas gravadas e outras 70 letras prontas para serem musicadas. O castanhalense ilustre tem gravados 5 cd’s autorais, um DVD, 2 livros de repentes de cordel e tem até uma autobiografia lançada. Conhecido pelas suas apresentações na noite, D’Pádua também já rodou meio mundo com seu talento musical. Na lista de interações brilhantes, ele se orgulha de já ter feito apresentações com Nilson Chaves e com Nana Cayme.
Também não é pra menos, seu talento para compor surpreende, e tem um motivo singular, as influências musicais que vão de Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, João do Vale, Geraldo Azevedo a Jackson do Pandeiro. “A música tem a magia que te leva em lugares que só ela te leva,” explica.
Apesar de passear pelos diferentes estilos, ele nos revelou duas paixões: bossa nova e o nordeste. O encanto pela poesia nordestina é tão grande que seu mais novo cd foi dedicado a essa cultura. “Me inspira muito o sertão nordestino, que é de onde vem muita dor e sofrimento que o artista transforma em poesia”, conta.
Com tanta criatividade, D’Pádua está com um desafio encantador, algumas de suas canções vão fazer parte da trilha sonora de um filme produzido por um cineasta cearense.
É claro que ficamos curiosos para saber de onde vem tanta inspiração, D’Pádua explica que nesses 54 anos de vida e 30 de carreira, já viu muita coisa surpreendente acontecer. É como se a vida fosse um baú cheio de palavras esperando pela caneta do artista. “Geralmente preciso de um motivo, até porque, já vivi muita coisa. Você é muito reflexo do que vive.
E quando você vê muita coisa, fica mais fácil compor.”
Com muitas composições prontas para nascer, D’Pádua revela o seu segredo. “Composição é aproveitar um momento divino, onde você expressa um sentimento que alimenta a alma e agrada o coração. Pra mim, compor não é só escrever palavras, é dar sentido a um sentimento momentâneo.”