Por Marco Souza

Continuando sobre o tema da comunicação visual, que abordamos na edição anterior, destacamos que ela vem cada vez mais se ajustando às necessidades do mercado.
Como? Com produtos mais resistentes e eficientes, empregando novas tecnologias que vão surgindo para agregar valor, como impressão UV, cortes a laser, impressora látex, router, sublimação, entre outras. É importante que o cliente tenha em mente que seu projeto é único, exclusivo, pensado individualmente, e nós que estamos à frente desse mercado tão complexo de comunicação visual, estamos preparados para atender suas expectativas, independentemente de ser algo mais elaborado, ou mais simples. Não há fórmula pronta, padrão definitivo, tudo pode e deve ser ajustado, para maximizar o que ele deseja.
O que devemos também compreender, é que por mais que na atualidade haja uma tendência natural pela digitalização das informações, nada irá substituir a necessidade da comunicação por meio da visão, sinalizando os espaços para melhor identificá-los e impactar o público alvo.
O processo de criação é único, e para que sejamos bem assertivos, é fundamental extrair o máximo de informações do cliente. Igualmente importante é entender que o processo criativo não tem um tempo definido, pois a referência é algo construído através de sua vivência, então não é uma ciência exata. Lidar com criatividade, requer experiência, quebrar muito a cabeça, embarcar mesmo no projeto, para entregarmos algo que verdadeiramente encante o cliente e seja personalizado.