Quando Francisco e Olena Araújo abriram o Magazine Araújo em Castanhal, a cidade ainda estava crescendo. Eles iniciaram o negócio que vendia uma série de produtos e joias e logo se tornaram uma referência no ramo joalheiro em toda a região. O idealismo empreendedor foi sendo aprimorado junto com o desenvolvimento do mercado. A Araújo Joias completa 60 anos com um padrão de acabamentos únicos. De lá pra cá, muita coisa mudou, como o processo de fabricação das joias, que hoje conta com maquinário moderno e mais avançado da região. O que permanece desde o princípio é a confiança e o respeito pelo cliente, o cuidado de atender aos desejos e sonhos de quem faz uma encomenda.
Por isso, o investimento na industrialização é um marco muito importante. Além de dar acabamentos impecáveis às peças, também possibilita a fabricação de todo tipo de joia.
O aprimoramento dessa verdadeira arte os tornou especialista em alianças, anéis celebrativos de formaturas e noivados.
Não é à toa que grandes joalherias da capital paraense adquirem suas peças com a Araújo Joias. Destaque também para a linha própria da loja, que criou peças únicas com ouro e madeiras nobres. Técnica premiada e reconhecida em todo o país.
Outro segredo é que o negócio familiar tem ultrapassado gerações, sem perder o foco na qualidade dos produtos. Para a fabricação das peças, sempre utilizam o ouro 18 teor 750 e pedras preciosas selecionadas. Até mesmo quando o cliente solicita pedras sintéticas, ele recebe o que há de mais refinado no mercado.
E para garantir que sonhos sejam eternizados em ouro, a equipe é constantemente treinada e capacitada. Assim, como os clientes também gozam de alguns mimos, como polimento vitalício, garantia e ainda podem utilizar suas joias para fazer uma nova peça.
Neste mês, em que a joalheira celebra os 60 anos, uma programação especial foi montada com promoções irresistíveis e muita novidade.
Ana Amélia Araújo é quem está à frente do negócio atualmente e conta que ainda se emociona com as histórias de clientes. “A joia tem isso, de marcar a data, o momento. Todo mundo que ganha a joia não esquece. A memória que fica é sempre a do dia em que ganhou, e isso eterniza o momento”, conta.