O ronco é definido por um som causado pelo ar, passando pelo estreitamento das vias aéreas, sendo uma patologia extremamente comum. É mais prevalente em homens a partir dos 50 anos.
Já a apneia do sono, que pode ser uma evolução do paciente com ronco, é uma doença subestimada e pouco diagnosticada. É caracterizada pela ausência da respiração durante o sono, por 10 segundos ou mais, podendo estar relacionado a acidente vascular cerebral (AVC), hipertensão arterial e acidentes de trânsito.
No geral, quem emite o som não apresenta queixas próprias, sendo geralmente diagnosticado por outra pessoa com quem divide o quarto. O paciente com apneia pode apresentar dor de cabeça crônica pela manhã, sonolência excessiva, sensação de sufocamento enquanto dorme e fragmentação do sono, ocasionando sensação de que o repouso não foi reparador.
Adultos e crianças podem sofrer de apneia do sono, tendo causas e tratamentos diferenciados. Além do exame físico, é de extrema importância o diagnóstico por meio da polissonografia (exame específico que identifica a doença).
Portanto, se você, seu companheiro (a) ou mesmo uma criança em casa apresentam roncos excessivos e sintomas de apneia do sono, procure um especialista! Procure um otorrinolaringologista que irá iniciar um tratamento que pode salvar a sua vida.