Por Allan Raiol-CRO 4922

O primeiro molar permanente surge na cavidade bucal, por volta dos seis anos de idade, mas pode adiantar ou retardar sua erupção em um ano.
É importante salientar que os primeiros molares permanentes surgem atrás dos últimos dentes de leite (segundos molares decíduos), ou seja, não é necessário extrair nenhum dente de leite para ele “nascer”. Geralmente, passa despercebida pelos pais a presença dos primeiros molares permanentes, acham se tratar ainda de dentes de leite e, quando esses dentes começam a doer, muitos pais optam pela extração.
A perda precoce do primeiro molar permanente poderá acarretar vários problemas como: dificuldades de mastigação, problemas na articulação, inclinações indesejáveis de dentes adjacentes, os dentes superiores podem “descer” para a região do dente arrancado e, posteriormente, precisar usar aparelho para o reposicionamento desses dentes.
A melhor forma de manter os primeiros molares permanentes é a prevenção com profilaxia, aplicação tópica de flúor, aplicação de selantes nos sulcos dos dentes, orientação de escovação, enfatizar aos pais para a importância em manter todos os dentes saudáveis e fazer uma consulta com o dentista a cada seis meses.