Por Flaviana Aoki
Engª Civil – CREA 16.135 D/PA

Você entra num espaço residencial e logo pensa em como esse ambiente é mais confortável do que outros em que esteve. A impressão visual que tem é agradável, e se sente mais à vontade, tranquilo e com energia, mas não sabe o porquê. Bem, o motivo disso é o conforto térmico, algo muito importante, e que os arquitetos e engenheiros civis devem levar em conta na hora de construir ou reformar uma edificação.
Na região norte, que possui temperaturas altas durante o ano todo, é difícil manter os ambientes sempre confortáveis. Mas há meios de garantir que uma casa fique nem tão fria e nem tão quente.
Neste artigo, você vai conferir o que é o conforto térmico e quais são os materiais mais indicados.
Resumindo, conforto térmico significa que uma pessoa não sente nem muito frio e nem muito calor.
Tratando-se de construção civil, é quando um ambiente apresenta uma temperatura adequada – condição que vai depender de uma série de fatores, incluindo a umidade relativa do ar, a entrada de ventilação e o isolamento de calor. Obviamente, isso interfere nas estruturas, fechamentos e acabamentos.
De acordo com algumas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), uma zona de conforto térmico aceitável seria por volta de 23 a 26 graus célsius na nossa região – pensando em como as pessoas poderiam se sentir mais bem-dispostas, inclusive para o trabalho. Esse é um tipo de parâmetro que pode guiar os projetos de edificações.
Como criar conforto térmico nos projetos de edificações? Existem várias formas de se obter mais conforto térmico em projetos de arquitetura e engenharia civil. A primeira delas é fazer, adequadamente, a implantação do edifício no terreno.
Durante a concepção da planta baixa, o projetista precisará refletir em como organizar os ambientes, de modo a deixar aqueles que necessitam de mais luz para o norte.
Leste, Nordeste e nos demais, fazer aberturas que permitam a melhor incidência direta do sol matutino. Outro fator importante é como se comportam os ventos predominantes Nordeste. Tudo isso guiará a disposição dos espaços assim como a inserção de elementos, como brises, beirais e marquises.
Os projetistas também sabem que o ar quente tende a subir. Por isso, muitos propõem fazer entradas de ar nas partes inferiores das edificações, para captar o frio.
Outra alternativa é fazer aberturas nas coberturas, para ajudar a dissipar o calor. Já os isolantes térmicos no telhado amenizam em quase sua totalidade e barram o calor da luz solar. E as plantas ajudam a umidificar e resfriar a temperatura ao redor da construção.
O conforto térmico das edificações também pode ser obtido com a escolha correta de materiais na hora de construir ou reformar.
Alguns materiais podem contribuir nessa questão!
Telhas cerâmicas, Telhas termo acústicas, Telhas com faces aluminizadas, Drywall, Madeira, etc.
Ser sustentável não é mais uma moda, mas uma necessidade da era contemporânea. Por isso, é fundamental ter consciência do que é conforto térmico.