Com Fernanda Magalhães

Mudar de profissão exige coragem, confiança e determinação. Essas características e mais um pouco de ousadia fizeram com que a advogada desse lugar à digital influencer. Essa é a Fernanda Magalhães, uma jovem empreendedora de Castanhal, que bomba nas redes sociais, falando sobre marketing e vendas.
Fernanda oferece aos seus seguidores conteúdos sobre como ser um vendedor 4.0, uma técnica diferenciada para ter êxito nas vendas, que se baseia na revolução digital onde tudo e todos estão conectados.
O ponto de partida para a nova carreira surgiu após um convite para assumir a diretoria comercial do Guará Park. O desafio lançado exigia conhecimento na área, e Fernanda foi além, especializou-se e não para de se capacitar, para ser uma profissional de alta performance no mercado digital, que só cresce e se renova a cada dia.
Em entrevista para o nosso #PerfilEmpreendedor, Fernanda compartilha um pouco de sua experiência profissional e dá algumas dicas de como ser um empreendedor de sucesso.
A jovem empreendedora dedica grande parte do seu tempo em especializar-se nas inovações que o mercado exige.

RJV:.Como você começou esse trabalho no universo digital?
Fernanda: Eu trabalhava como advogada na Alepa (Assembleia Legislativa do Pará), mas o coração sentia falta de algo que eu não conseguia explicar. Tudo mudou e passou a fazer sentido, quando mergulhei nessa atividade. Meu cunhado me chamou para integrar a equipe de vendas do Guará Park. Então começou o desafio, porque me deparei com uma equipe bem pequena, de quatro pessoas; e me perguntei: O que eu iria fazer? Essa pergunta deu início a uma jornada de capacitação, curso de coach, estudos, e passei a ficar antenada com grandes nomes do marketing. Então costumo dizer que nunca foi sorte, foi trabalho. Quanto mais você trabalha, mais sorte você tem!
Foi então que eu percebi; empresa nenhuma cresce, se não investir em tecnologia digital. Foquei nisso e me apaixonei pela revolução 4.0, onde tudo está conectado, onde tudo é digital.
RJV:. Hoje todo mundo vende algo nas redes sociais, principalmente a imagem. Você concorda com isso?
Fernanda: Sim. Você se vende o tempo todo, e nada acontece antes que uma venda aconteça. Se você abre um negócio, se é profissional liberal, se tem uma loja de confecções ou até mesmo uma loja que não seja física, você precisa investir em redes sociais. Precisamos ir aonde os nossos clientes estão; e eles estão nas redes sociais. O povo está praticamente dentro do celular. Mas não é fácil, não basta você postar qualquer coisa, porque existe uma técnica.
RJV:. É um desafio para o empreendedor se destacar nesse cenário que começa a “explodir”, ou seja, o marketing digital?
Fernanda: Você dorme, e ao acordar, já se depara com um aplicativo novo, com uma empresa nova; e não basta somente você tirar uma foto e postar, é preciso criar conteúdo relevante ao seu público. Porque acima do marketing digital, tem o marketing de conteúdo e não é todo mundo que consegue fazer isso, precisa ter uma técnica; e, uma vez que você tem isso, já pode ficar despreocupado e se destacar no mercado.  Outro ponto importante, é que você não pode ficar desatualizado. Quem pensa que só existe o Instagram, está enganado, agora surgiu o TIK TOK, que é a rede social que mais cresce no mundo,e eu já estou lá! (risos).
RJV:. Quais os caminhos que podem conduzir um empreendedor ao fracasso ou ao sucesso nas redes sociais?
Fernanda: Eu vejo muita gente fazendo a coisa certa e também muita coisa errada. Uma vez que você está conectado, você consegue fazer um cliente de sucesso, se souber usar as redes sociais, pois é necessário investir no universo digital. Antigamente as pessoas investiam em comerciais na TV, e não era algo que custava pouco, e não se fazia sozinho, porque sempre tem uma equipe que trabalha muito, até enviar para TV. Então porque não fazer isso no marketing digital? Você tem que ter consciência de que muito mais gente vai ver o seu produto e, por isso, tem que ser um negócio bem feito, para dar certo. Não é todo tipo de conteúdo que agrada ao cliente. Tem a regra dos 80/20 que diz que 80% de tudo que se posta tem que engrandecer o seu cliente e não somente para vender. É errado colocar só foto e preço e achar que isso é marketing digital, porque isso é só vitrine e ninguém entra nas redes sociais só para comprar. As pessoas entram nas redes sociais para se comunicar, se entreter e se informar. Então,se você não trabalhar um desses três conteúdos, você está fazendo errado.
RJV:. Não basta ter a vontade de se tornar um empreendedor, qual é o “plus”? O algo a mais para não colocar a perder esse sonho?
Fernanda: Requer muita dedicação e, principalmente, conhecimento, que é a arma mais poderosa que a gente tem. E quem é que não sonha em ser o seu próprio patrão? Mas na hora do “vamos ver”, percebe-se que não é bem da forma que se idealizava. O empreendedor mata um leão por dia e, no final do dia, ainda aparece mais um escondido, e temos que lutar com ele na unha. É isso que é ser um empreendedor. E ainda temos que nos destacar. Eu falo com a minha experiência do Guará Park, onde no ano passado, atendemos mais de 124 mil pessoas e só conseguimos isso, a partir do momento em que passamos a investir no negócio certo, que foi o digital. Então, o que tem dado certo para mim e para muitos empreendedores, são as redes sociais.
RJV:. Nas suas redes sociais, você fala sobre o vendedor 4.0, o que isso significa?
Fernanda: É um projeto pessoal que surgiu a partir do momento em que as pessoas começaram a ver e a perguntar por que estava tudo dando certo no Guará Park. Elas perguntavam como é que vendíamos tanto um produto que não é prioridade. Foi então que comecei a explicar e a dar consultoria para outras empresas. Eu explicava que a minha técnica nunca foi vender um produto, e sim uma experiência com emoção. Então a gente vende a transformação. Eu dou sempre o exemplo de como vender uma furadeira, porque o cliente não quer a furadeira em si, ele quer o buraco na parede; e se o cliente puder ter o buraco na parede sem a furadeira, está tudo lindo, e é isso que é a transformação. 80% das empresas treinam seus funcionários para vender o produto, e não é isso. A partir daí, eu também comecei a gravar e postar nas minhas redes sociais, dando dicas para praticar tudo que eu digo nas minhas consultorias. Foi aí que nasceu a ideia do vendedor 4.0, que se baseia na revolução 4.0, onde está todo mundo conectado, e tudo é tecnologia. Nós vendedores temos que nos atualizar e começar a vender, usando essa ferramenta. Nós empreendedores temos que atualizar o nosso negócio. Temos que pegar as tecnologias que estão disponíveis para facilitar o processo da venda, crescimento da empresa e consolidação da marca, sem perder o que todo vendedor extraordinário tem, que é saber encantar o cliente.
RJV:. Para você trilhar esse caminho de sucesso como coach, palestrante e traineer de vendas, é necessário muito investimento pessoal. Como você busca o diferencial?
Fernanda: Para eu chegar aqui hoje, não foi apenas “mexendo” na internet. Já participei de muitas mentorias, consultorias com grandes nomes do marketing digital. Recentemente, tive uma consultoria com o Erico Rocha, especialista em marketing e em empreendedorismo. Eu gasto pequenas fortunas nessas consultorias, mas volto transformada e com a energia de fazer o negócio de todo mundo dar certo. E quanto mais eu estudo, percebo que preciso saber muito mais, e hoje eu estou aqui, tentando até passar muita coisa de forma gratuita nas minhas redes sociais.
RJV:. Como você vê o mercado do Marketing em Castanhal?
Fernanda: Um exemplo são vocês (Janela.MKT), que são pioneiros nesse mercado digital. Porém isso não é culpa de Castanhal, mas é algo cultural, e as coisas demoram a chegar por aqui. Para se aprimorar em alguma coisa, tem-se que sair daqui para buscar. Aqui em Castanhal está crescendo, porém devagar. Mas quem entrar agora e investir, vai se destacar no mercado.
RJV:. Agora vamos às dicas para quem pretende abrir um empreendimento. Existem pequenos passos a seguir?
Fernanda: Eu costumo dizer que há cinco passos para fazer o seu negócio dar certo. O primeiro é ser persistente. E ser persistente é muito diferente de ser teimoso. O segundo é ter um bom atendimento, essa tem que ser a sua causa, levantar todos os dias, pensar que aquilo é a melhor coisa que você está fazendo,mas não por dinheiro, e sim pensar que está contribuindo para sociedade de alguma forma. Terceiro passo são as perguntas poderosas na hora da venda, porque perguntas poderosas geram respostas poderosas. As pessoas acham que venda é apresentar um produto e não é, venda é entender o que aquele cliente precisa. Então pergunte e deixe o cliente falar; e quando você mapear qual é a necessidade dele, você vai vender o que ele precisa. O quarto passo é trabalhar as indicações dos clientes, e essa é a melhor forma de fazer venda. O quinto passo e o mais importante é, quem é visto é lembrado, ou seja, não existe empresa sem publicidade. Então olhem ao redor o que está acontecendo. Tudo é tecnologia, invista nisso!