Por Andre de Moraes

RJV – Babi, você ficou 3 anos longe da telinha, e agora volta direto para um dos realities de maior sucesso da Globo, qual a sua expectativa?

Babi: Pois é, e nesse meio-tempo, fiz teatro (2 peças) no Rio de Janeiro, gravei videos institucionais e fiz eventos para empresas, que são coisas que adoro, além de me matricular e cursar presencialmente 4 períodos da faculdade de Psicologia FAMATH, que, me orgulho, é uma instituição que é referência na vida acadêmica e meu CR(Coeficiente de Rendimentos) é 9,4! Ainda tenho a maternidade, né?! Cinthia está com 07 anos! A expectativa é a de que tudo pode acontecer, muito pode mudar meu rumo de vida, mas a maior esperança é a de que a evolução na minha trajetória, não só profissional, mas principalmente pessoal, aconteça de forma muito bonita! Estou amando trabalhar com um programa feito pela Globo, e ainda por cima é de música!
Incluí no meu dia a dia as aulas de canto, as sessões com a Fono, o otorrino, as aulas de corpo, os estudos de repertório….. Para performar com consistência, reuni pessoas em quem confio para os trabalhos de voz e sobre o meu visual, cabelos, pele, moda. É maravilhoso ter essa força e você, André de Moraes, faz parte dela, com seu talento absurdamente genial para criar os meus looks! Só tenho a agradecer!
RJV – Você já gravou um CD anos atrás, como é sua relação com a música e como foi seu “feat”(featuring) com o Chico Buarque ?
Babi – Gravar um CD para ir para a estrada era meu sonho em 2001! Fiz tudo que um novato musicista deve fazer, e que é a trilha dos músicos tarimbados, também: reuni-me com possíveis parceiros musicais, troquei ideias com produtores, fiz estudo de repertório, revisitei as minhas referências musicais, estudei o mercado brasileiro, entrei no estúdio para gravar, aulas de canto, ensaios com banda , busca de um escritório com experiência musical, tudo. Ainda, de segunda a sexta, gravava o Programa livre, no SBT. O lance é que meu trabalho com o SBT era num ritmo que não me permitia vender datas para shows em locais mais longe, em que tivesse que dispor de mais dias… Daí, não pude seguir para a estrada com a venda dos shows. Cheguei a fazer algo tímido em SP, mesmo, e quando o contrato com o SBT findou, fui para o Rio e Janeiro e , além de apresentar para a TV Sky, voltei a atuar. A novela Bang Bang, na Globo, aconteceu nessa fase.

Na gravação do meu disco, fui muito cuidadosa, criteriosa: chamei pessoas que adoro musicalmente e fiquei muito realizada, quando consegui ouvir o trabalho pronto. Tive a ideia de chamar o querido Chico Buarque, porque a música dele sempre estava tocando na casa dos meus pais e eu nasci na época de “O Que Será?”. Quando eu telefonei para ele, que estava em Paris, estávamos os dois ouvindo o trabalho da Bebel Gilberto, que fazia a música brasileira com um flerte gostoso com o drum’in’bass, que foi o que ouvi muito na MTV. Foi um acerto bom! Quando ele aceitou e fomos gravar, imagine a minha emoção!!! Um privilégio, um sonho realizado e sobre o qual sinto muita gratidão.
RJV – Todo artista acaba tendo a vida muito vigiada pelos fãs e pela mídia, mesmo assim, você consegue manter sua intimidade preservada, qual a importância que você dá a isso?

Babi: Total. Acho bom sempre falarmos sobre a busca da melhor qualidade de vida. Isso, sim, é assunto de relevância pública! Gosto de dar dicas do que estou pesquisando, conhecendo , e que está funcionando para mim, minhas amigas, minha família… Sobre tudo o que gira em torno do universo feminino, saúde, tecnologia, finanças, fitness, beleza, autoestima e maternal.
Já fui mais livre para sair para dançar e beijar publicamente, mas, com o tempo, fui ficando mais tímida com relação a essas coisas, entendendo o peso disso, ainda mais em tempos de dispositivos móveis que filmam tudo, de qualquer jeito, sem contexto ou carinho, digamos assim…

RJV – Sua filha está com 7 anos, como é que você consegue conciliar a agenda lotada de compromissos com a maternidade?
Babi: Eu raramente descanso. Não tem atalho, nem macete, pois são vários os “pratinhos” da vida a equilibrar e manter rodando, certo! Por isso, cuido da saúde mental(terapia e encontro com a família e amigos), espiritual(orações, leituras, encontros e palestras na Igreja) e física(ginástica funcional, dança, cardio), ainda tem as aulas de YOGA, faço com dificuldades de horários, mas sei que são fundamentais para o meu equilíbrio como um todo.
RJV – Além do reality você tem se preparado para outros trabalhos na TV e fora da TV?
Babi: Nesse semestre, até dezembro, espero trabalhar muito com apresentações de eventos, fotos, vídeos para empresas, e cantar, cantar muito! Para isso, tranquei por seis meses a Faculdade. O que vier a partir disso, será muito bem-vindo! Lembremos: Deus está no controle de tudo e confiar Nele é vital!