Este foi tema escolhido para o nosso #PapoVip especial Mulheres, que aconteceu no Celeiro Frutos da Lavoura, com cinco mulheres super especiais: Marcela Campos, Sônia Sedlak, Lorena Silva, Débora Jati e Alana Motta.

É a mais pura verdade que, nas redes sociais, as mulheres estão sempre arrasando. A pele maquiada com um ar saudável, cabelos irretocáveis, unhas e sobrancelhas feitas. Felicidade plena. Muitas mostram nos posts e stories as viagens, passeios, comidas e bebidas deliciosas. Todos os clicks são muito bem pensados, para que tudo saia perfeito aos olhos de quem vê.
Até a correria do dia a dia parece sempre perfeita. E tudo isso com um filtro também incrível, que torna as postagens mais bonitas. Mas como é a “mulher de cara limpa”? Com afazeres, obrigações e desafios ?
Para a maquiadora Lorena Silva, a mulher de cara limpa é aquela que sabe enfrentar as adversidades da vida. “Ela sabe que tem obstáculos e até problemas, mas olha pra si e percebe que vai dar conta. Mas temos alguns momentos em que só queremos postar o que nos dá prazer e o que nos marca positivamente. Eu percebo que já há algumas influencers que começam até a dividir alguns problemas com seus seguidores”, diz.
Alana Motta fala que a mulher de cara limpa é aquela que não coloca filtro na vida e é versátil. “Ela não coloca o filtro das redes sociais e não mostra uma vida sem defeitos. Nós não somos perfeitas e ainda fazemos várias coisas ao mesmo tempo, e isso é o nosso real. Dessa forma, podemos ajudar outras mulheres a mostrar que não somos perfeitas”, diz a arquiteta.
A vida real é cheia de obstáculos que nem sempre são mostrados nas redes sociais. Muitas mulheres possuem rotinas movimentadas que as sobrecarregam. São empreendedoras, mães, esposas; e buscar o equilíbrio é um desafio diário.
Para Marcela Campos, que é dona de um sexshop, é preciso organização. “Não é nada fácil, bem diferente do que as pessoas mostram nas redes sociais. Principalmente quando se tem criança. Tem que dar conta da casa, dos filhos e até do cachorro. E tem que ter organização e’ mesmo assim, há dias em que você fica exausta e pede a Deus que chegue logo em casa pra deitar e dormir. O lado bom é que a mulher sabe dar um jeito para tudo, e acabamos conseguindo equilibrar”, conta.
Simplicidade e autoconhecimento são dois pontos que são destacados por Sonia Sedlak, para que a mulher consiga o equilíbrio. “Quando você está muito bem resolvida, você consegue até mesmo usar o filtro das redes sociais. Aí entra o autoconhecimento e, quando se tem essa certeza, você consegue viver com mais simplicidade e tranquilidade”, enfatiza.
A professora de pilates, Débora Jati, destaca, além do autoconhecimento, o autocuidado para que a mulher consiga o equilíbrio tão desejado e, dessa forma, saber lidar com as adversidades. “Quando pensamos em redes sociais, queremos usar muitos filtros de coisas que não acontecem. Mas quando se pensa em autocuidado, não é só ir à academia, é ter saúde e bem-estar e pensar de dentro para fora. Quando você está bem, consegue cuidar do seu filho, do esposo, dos pais e de tudo que depende do seu cuidado. Então se conheça e se respeite!” diz.
O excesso de atividades e de estímulos sociais a que as mulheres são submetidas diariamente, podem causar pensamentos acelerados, ansiedade e até depressão. Uma forma de lidar melhor com isso, segundo Débora Jati, é exercitar o corpo. “Eu acredito muito no poder do movimento. A cura está aí. Um exemplo é o pilates que trabalha mente, corpo e espírito. Mas não é só fazer movimento por movimento. Cada pessoa precisa de um movimento específico e não só o pilates pode curar”, enfatiza.
“Olhar com carinho para a sua realidade, aceitar como ela é e conhecer a si mesma para não ter dano mental”, comenta Lorena Silva.
Para Sonia Sedlak, a preocupação com o futuro é um dos gatilhos para a ansiedade. “A gente deixa de viver o hoje, porque está sempre com a mente acelerada, focada no que vai acontecer amanhã ou daqui a um mês”, diz a empresária.
Uma vida sexual saudável também ajuda a equilibrar esse pilar de sustentação, que é a mulher; porém,o sexo ainda é um tabu para muitas. “Já ouvi mulheres com quase 30 anos de casadas que nunca tiveram um orgasmo. O sexo é só para satisfazer o parceiro. Elas vivem tanto tempo sem conseguir falar sobre isso! Uma mulher que não conhece seu corpo, não consegue sentir prazer. E quando você passa a mudar essa consciência, tudo flui melhor, porque o sexo deixa tudo mais leve e até a gente fica mais bonita”, conclue.