Foi numa sexta feira ensolarada que o Kchorrão nos encontrou para a entrevista. Ele praticamente saiu de um show ao nosso encontro, mas o forrozeiro estava arretado. Sorriso largo, simpatia e bom humor de sobra logo contagiaram a equipe da Revista Janela VIP.
O Kchorrão é uma das principais bandas de forró de sucesso em Castanhal e região. Os shows reúnem uma verdadeira legião de apaixonados pelo ritmo, reflexo do amor que o Júnior Kchorrão também tem pela cultura de suas raízes nordestinas, que foram aprofundadas durante os oito anos em que morou e viajou por todo o nordeste brasileiro. “Foi uma faculdade, vivi o forró, o frevo e isso me contagiou como se fosse um vírus que nunca mais saiu de mim,” destaca. Realmente é contagiante quando ele começa a cantar. O apelido que ganhou de amigos no início da carreira também poderia ser camaleão, isso porque o próprio cantor se define como um artista que se adapta aos eventos. “Eu digo que sou animador de festa. Chego para descontrair e fazer a diferença no lugar.”
Essa capacidade eclética de se transformar conforme o público, tem dado muito certo e agradado todos os ouvidos. E o estilo Kchorrão tem ganhado fama pelos quatro cantos do estado, também com as composições próprias do cantor que transforma em música situações com que muita gente se identifica. “Eu tenho uma facilidade imensa de construir histórias na minha cabeça. Eu crio letras de forma natural. Sou um cantor e contador de causos,” relata aos risos.
Para os fãs, a atenção é constante, sempre após os shows, faz questão de conversar e atender a todos. Foi numa situação assim que percebeu a importância da música na vida das pessoas. Quando foi levado para conhecer um fã, com deficiência visual. Bastou o jovem ouvir o jargão “Isso é Kchorrão, pai!”, para identificar com quem estava falando e se encher de alegria. “Ele pegava no meu rosto, na minha barba, passou a mão no meu chapéu e disse que eu era bonito. Pra mim, foi um momento inesquecível da minha carreira e não vai sumir nunca. A maneira com que eu entrei naquela casa, levando alegria para aquele jovem.”
Músico por formação, ele surpreende também na quantidade de instrumentos que toca: violão, bateria, teclado, contrabaixo, viola de 6, 10 e 12 cordas, cavaquinho, banjo, percussão e brinca que toca a vida devagarzinho.
Para os amantes do ritmo, em junho, a agenda está lotada de shows e eventos, músicas novas, vídeo clipe e muito arrasta pé, mas o melhor mesmo é saber que quem tem o Kchorrão, tem São João o ano inteiro. “O público pode esperar o melhor de mim. Quando subo no palco, tem o frio na barriga, fico nervoso, é como se fosse o último, sempre me doo por inteiro.”