Por Laucineia Pereira – CRFa 967285
Fonoaudióloga – especialista em gerontologia e
saúde do idoso / fonoaudiologia do trabalho.

Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que, atualmente, no Brasil a população idosa ultrapasse o número de 29 milhões. Isso significa uma grande parcela de pessoas ativas e que necessitam de atenção especial. Somente um especialista é capaz de identificar perdas auditivas causadas ou por doenças cardiovasculares, hipertensão, diabetes e infecções no ouvido ou até mesmo por excesso de exposição a volume alto em fones, festas e ambientes ruidosos, além da perda da audição que sofre um envelhecimento natural com o passar dos anos.
Familiares precisam ficar atentos quando o idoso apresenta queixas de zumbido ou dificuldade de compreender conversas. O primeiro passo deve ser a busca de um otorrinolaringologista, que faz uma pesquisa mais detalhada do problema e solicita exames audiológicos, específicos para detectar o tipo, a localização e o grau da perda auditiva. Esse diagnóstico vai indicar o tratamento mais adequado e se há necessidade do uso de aparelhos auditivos.
Os aparelhos são indicados principalmente para casos em que o paciente apresenta perda, que acaba comprometendo a compreensão de conversas e da fala, prejudicando com isso, o convívio social desse idoso. O fonoaudiólogo é o profissional habilitado a indicar os aparelhos adequados a cada situação, também assiste o processo de protetização e faz o acompanhamento do paciente.