Lílian Rodrigues Ciríaco
Supevisora da unidade Thai Castanhal, há 3 anos e
21 anos no grupo EBD.
Formada em administração,
Pós graduada em gestão empresarial e
especialização em gestão de concessionárias.

Uma entusiasta da Vida e empreendedora de sucesso. Assim podemos começar a descrever a entrevistada do perfil empreendedor deste mês. Lílian Rodrigues Ciríaco é supervisora da Unidade Thai Castanhal há três anos, mas carrega uma bagagem de 21 anos no grupo EBD, onde fez crescer concessionárias, e seu trabalho passou a ser admirado pela precisão. E claro, entusiasmo com que ela abraça o negócio. Ela nos falou sobre a tradição da marca Toyota em priorizar qualidade sem o famoso jeitinho para resolver questões. Também destaca que é preciso sensibilidade para tocar um negócio e perceber que tudo se trata de gostar de pessoas. De antemão, nós mais que gostamos dessa entrevista, nós amamos! Confira!
RJV – A filosofia da Toyota revolucionou processos de produção no mundo ainda no século XIX, com o conceito de evitar desperdícios e continua muito atual. modelos como esse aplicados em grandes empresas podem ser assumidos também por pequenos empreendedores?
Lílian – Claro que sim. Veja bem, o símbolo da Toyota são três elos, um significa a fábrica, outro a rede de concessionárias e o terceiro os clientes. Todos interligados, então a Toyota traz a filosofia da montadora e concessionárias para a vida do cliente.
Quando você chega na Toyota, você percebe que ela tem cuidado nos detalhes, não é à toa que ela detém de praticamente metade do mercado mundial de carros. Os processos, o sistema de venda Toyota são todos pensados para otimizar tempo do vendedor, ganhar confiança e fidelidade do cliente. É claro que você adapta para cada cultura. Quando a gente fala da filosofia, é mundial, e ela vai se adaptando à realidade de cada país. Nós temos uma receita, um passo a passo. Uma fórmula de fazer bem, e cada vez melhor; e com o passar do tempo melhorando essa receita pra fazer o bolo ficar melhor ainda. E hoje tem muitas empresas copiando esse modelo.
RJV – Você acha que é muito mais importante investir em quantidade ou qualidade para atender demandas?
Lílian – Não tenho dúvida que é a qualidade. A qualidade faz a de tua marca se fixar no mercado, você é lembrado. E isso vale para o rapaz que vende o chop e o pastel. Se o pastel dele for o melhor, se tiver qualidade, é nele que eu vou, independente do preço. Eu sou pela qualidade nível hard.
RJV – Hoje se fala muito de equipe como colaboradores. Por que é importante mudar essa mentalidade?
Lílian – As pessoas são feitas de emoções e sentimentos. Não adianta falar para a minha equipe “o problema de vocês fica lá fora, e daqui pra dentro, você não pode entrar com ele.” Eu estou lidando com pessoas. São feitas de emoções diariamente. Então, se eu não criar um ambiente de trabalho saudável em que essas pessoas se sintam acolhidas e felizes, como é que elas vão transmitir isso para quem entra aqui? Somos feitos de energia também. A nossa energia atrai ou distancia as pessoas da gente. E o que mais queremos é que queiram vir pra cá, porque todo mundo é feliz, sorri. Aí entra a forma do grupo EBD valorizar o ser humano, de ver o funcionário até mais do que um colaborador, é realmente uma família. O grupo EBD é uma grande família, é acolhedor, seu Djalma é bem patriarcal, daquele pai que abre as asas e agrega os mais de 3 mil funcionários como se fosse parte da família. Porque a gente entende que pessoas felizes fazem coisas maravilhosas. Pessoas entusiasmadas são capazes de mudar o mundo.
RJV – Quem atua em grandes empresas, precisa ter uma mente empreendedora todos os dias? Por quê?
Lílian – Sim. Empreender tem a ver com ser entusiasta, ser formador de opinião, tem a ver com transformar um problema numa solução, ou pelo menos, buscar uma solução. Problema a gente tem todo dia, se você não conseguir transformar isso, tem algo errado. Já viu aquela frase que a gente tem que transformar o limão numa limonada? É isso! Empreender tem a ver com a forma de se posicionar, de enfrentar a dificuldade, porque não somos perfeitos; então, problemas vão aparecer. Ser entusiasta para ver oportunidade onde ninguém mais está vendo. Fazer a sua loja sair do quadrado, trazer coisas diferentes para dentro da loja. A gente tem que ter uma mente empreendedora, senão a coisa não vai!
RJV – Você acha que a internet mudou a maneira de fazer negócio, de comprar bens?
Lílian – Completamente. Você consegue se imaginar sem internet? É impossível. Na época em que se fazia um feirão, não dava tempo de tomar água, porque a toda hora, entrava gente. Agora, quando fazemos um feirão, entram duas a quatro pessoas aqui, mas o whats app não para. E se você entrar na loja, toda a equipe vai estar respondendo ao cliente no aplicativo. Da hora em que a gente acorda, à hora em que vamos dormir, temos o celular na mão ou perto. Mas, você não assiste à televisão como antes; se vê, é só na hora em que está em casa, mas o celular está o dia todo com você, a internet mudou tudo. Mudou a forma de comunicar, porque a gente tem que trabalhar uma imagem boa, positiva dentro da rede social, de leads digitais, fazer o cliente ter o interesse em nos acessar, compartilhar e ter vontade de nos perguntar o que ele quer saber. Mudaram os negócios e a vida por completo.
RJV – Grandes empresas estão sempre lançando novidades, o que hoje é um celular ou carro de última geração, daqui a uns anos estará ultrapassado. Esse conceito de constante inovação deve ser adotado por qualquer empreendedor, ou time que está ganhando não se mexe?
Lílian – Mudança é a palavra de ordem do mundo de hoje. Se você ficar preso a antigas convenções, você não caminha. Então é a mudança, se eu consigo enxergar uma mudança que vai trazer uma melhora, não posso ficar presa a uma zona de conforto, que não irei pra frente. Hoje é tudo muito rápido, porque as pessoas querem mais praticidade, agilidade, elas querem até o que elas nem sabem que querem. A gente que tem que adivinhar.
RJV – Para quem busca avançar no empreendedorismo, qual sua dica?
Lílian – Acho que estudar, gostar de gente, ter prazer em servir e ajudar, e ter criatividade para inovar, ser proativo, não ficar esperando, vai lá fazer, se tiver errado, depois conserta, mas vá lá e faça!