#GIRO360º

A GARRA DO HANDEBOL
CASTANHALENSE GANHA O ESTADO

Tem bola, quadra e gol e antes que você imagine uma partida de futebol, antecipamos que nesta edição vamos falar de handebol. O esporte amador tem se destacado na cidade com uma equipe cheia de garra e que acredita no sucesso sempre.
A prática desse esporte tem tradição na cidade e inúmeros títulos. Atual campeã no Pólo nordeste do Campeonato paraense já esteve no degrau mais alto por cinco vezes nos Jogos Abertos, a equipe também almeja o tão sonhado bicampeonato Paraense.
Os atletas que defendem a bandeira do município têm um espírito de equipe impressionante. Contam com pouco apoio para compra de materiais, uniformes e viagens e mesmo assim, comparecem assiduamente para os treinos.
Maraísa Oliveira é quem comanda o time masculino há três anos. Determinada, ela exige sempre o melhor dos jogadores que estão no meio de mais uma competição. “O nosso maior objetivo é trazer o título desse campeonato paraense. E também buscamos patrocínio para disputar campeonatos nacionais”, explica. As dificuldades não desanimam os praticantes que trabalham durante o dia e treinam a noite três vezes por semana.
Na equipe encontramos uma variedade de profissionais como contadores, publicitários, advogados, estudantes, professores e engenheiros, que dedicam o tempo livre para o esporte. É o caso do publicitário William Pantoja que há 20 anos conheceu o handebol e tem a atividade como parte de sua rotina. “Aqui ninguém recebe nada em dinheiro. Tenho um prazer imenso em jogar. É uma terapia, me ajuda a manter a forma física e ter a satisfação de competir com outras equipes”, conta.
O professor de educação física Maurício Queiroz entrou no time de uma escola só para completar a equipe, se apaixonou e hoje está na seleção de Castanhal. “Queremos levar o nome da cidade também para outras competições e outros estados. E estamos sempre em busca de títulos e reconhecimento”, reforça o professor. Para entrar no time Handebol Castanhal basta participar dos treinos que acontecem no ginásio Loyola às terças, quintas e sábados à noite. Além disso, tem que estar disposto a acompanhar o ritmo frenético do esporte que exige velocidade, bons arremessos e reflexos apurados.
A técnica Maraísa antecipa que não tem moleza. E sempre cobra muito da equipe porque reconhece o potencial dos atletas. O time também dá uma goleada em responsabilidade social. A categoria adulto ajuda a nova geração.
‘’Trazemos essa turma para o ginásio, para a prática esportiva e afastá -los da rua, dando um direcionamento a eles” Conclui a técnica.