Por Fillipe Almeida

O implante dentário é uma estrutura de titânio, que tem função semelhante à raiz de um dente natural e é posicionada cirurgicamente no osso. Ele permite ao dentista, montar dentes substitutos para áreas com ausências de dentes naturais. As próteses instaladas sobre implantes não se soltam como uma dentadura, são próteses fixas. Em razão de os implantes serem integrados ao osso, os dentes artificiais não se movimentam, o que favorece maior conforto durante a fala e mastigação, proporcionando mais confiança e estabilidade para os pacientes; logo, em muitos casos, aumenta a autoestima.
Os implantes podem ser indicados em casos de pacientes totalmente desdentados (pacientes sem nenhum dente remanescente) ou em pacientes desdentados parcialmente, (quando há dentes remanescentes na boca). Previamente ao tratamento, é necessária a realização de exames complementares para avaliação de saúde geral e condição óssea local. Assim, o dentista pode observar se há a presença de contraindicações que inviabilizam o tratamento com implantes.
Por mais moderna que seja a técnica empregada ou material utilizado em tratamentos, nada substitui perfeitamente dentes naturais perdidos; por isso, não deixe de fazer visitas frequentes ao seu dentista; dessa forma, muitos problemas simples e complexos podem ser evitados.