Com Deyana Rafaela

Se a lenda dessa paixão, faz sorrir ou faz chorar, o coração é quem sabe.” Se você leu essa frase e cantarolou, você viveu a era de ouro de uma das duplas mais amadas do Brasil, Sandy e Júnior. Eles estão de volta com turnê em todo o país e estão arrancando lágrimas, gritos e muita emoção de fãs de toda parte do Brasil. Por aqui, o show do dia 14 de setembro teve os ingressos todos vendidos em menos de três horas. A vendedora Deyana Rafaela foi uma das sortudas que conseguiu garantir sua entrada para a grande noite, fã desde a infância, ela relata que a paixão pela dupla nunca se apagou, mesmo com a separação da dupla.
Um amor que começou com um CD, presente de natal que ganhou da mãe. Completar a coleção de Cds, dvds e itens com fotos da dupla foram os passos seguintes. Rafaela conta que cresceu ouvindo Sandy e Júnior e que as músicas fazem parte da trilha sonora da adolescência e agora da fase adulta.
Mãe de um garotinho de dois anos, o Gabriel, Rafaela passou o carinho que tem pelos cantores para o filho, e desde que estava na barriga da mãe foi ninado com as canções da dupla.
Quando a gente pergunta de onde vem esse amor todo, Rafaela não economiza elogios. “Vejo pureza! É essa a palavra que os define. Hoje você não tem no cenário musical uma dupla igual. As músicas, os projetos, os shows, tudo isso era feito de uma forma muito diferente e única, que ninguém conseguiu fazer parecido. Tudo foi feito com muito carinho, verdade e vontade”, conta.
E assim, a paixão levou Rafaela para dois dos três shows que a dupla fez em Belém, o momento mais emocionante foi quando conseguiu ir ao camarim e pode abraçar os artistas.
A vendedora trabalhou pesado quando soube do retorno da dupla, o dia a dia de trabalho ganhou sentido novo que era comprar o ingresso. Agora com vaga garantida, ela conta quais são as expectativas. “A emoção é a mesma, a ansiedade também. Ficar esperando aquele programa que eles vão aparecer na TV, acompanhando tudo que é relacionado a eles, vibrar em ver tua cidade na lista de shows. Tudo, tudo como era antes. Como eles mesmo dizem: o coração é quem sabe”.