Com o intuito de reduzir a quantidade de animais errantes e de facilitar a comprovação de posse, a maioria dos países europeus adotaram, como forma obrigatória, o uso dos microchips. No Brasil, alguns estados também começaram a adotar nos últimos anos.
O microchip veio para reduzir o desgaste físico e emocional na procura por um animal perdido ou na busca pelo proprietário em caso de animais encontrados, pois o chip de identificação é um produto com o tamanho aproximado ao de um grãozinho de arroz, possui um código único, inalterável e acessível apenas com o uso do leitor e pode ser utilizado em diversas espécies de animais.
A implantação do chip é semelhante a aplicação de uma vacina. No caso de cão e gato, o mesmo é implantado no dorso do animal, próximo ao pescoço, e cadastrado pelo médico veterinário em um sistema online onde serão armazenadas todas as informações relativas ao animal.
Em caso de furto ou fuga de seu animal, basta procurar o estabelecimento que realizou a chipagem e solicitar que seja informado que o pet está perdido e aguardar que, onde quer que ele seja localizado, a leitura do chip o identifique e o traga de volta para seu tutor.
Vale ressaltar que esse tipo de procedimento deve ser sempre realizado pelo médico veterinário capacitado e cadastrado no site de armazenamento das informações do chip.
Garanta estar fazendo o melhor pelo seu pet. Procure um médico veterinário sempre.