Por Jacklline Sousa
Especialista em tributos – CRC/PA 017985/0-1

Você conhece a prática de BPO (Business Process Outsourcing) Financeiro? Trata-se de um processo de terceirização de negócios. Na atual realidade mercadológica, a complexidade das demandas fiscais e dos processos gerenciais tornou o empreendedorismo um grande desafio.
As penalidades fiscais originárias de falhas operacionais aparecem como os principais resultantes de sanções do fisco e, nesse sentido, o BPO tem se tornado um diferencial, pois surgiu com a proposta de fornecer segurança nas operações fiscais, simplificação de processos, redução de custos operacionais e controle de gestão. Mas como aplicar essa prática nas empresas? Uma das possibilidades é a terceirização do setor de recursos humanos, uma vez que as operações de pessoal passam a ser controladas por uma terceirizada. Dessa forma, a empresa contratante pode reduzir custos trabalhistas e evitar problemas relacionados à gestão de funcionários, possibilitando, assim, a recuperação de recursos, os quais poderão ser investidos de forma mais eficiente em outros setores que agregam valor ao negócio. Outra excelente técnica é a aplicação do BPO no setor financeiro, propiciando a elaboração do fluxo de caixa, o controle de contas a pagar e receber, gestão orçamentária, emissão de documentos fiscais e conciliação bancária, dentre outros. Diante dessa realidade e da necessidade do empreendedor direcionar sua atenção ao foco principal do seu mercado de atuação, a terceirização oportuniza os gestores outras formas de planejar o futuro do negócio, de maneira mais estruturada, por meio de ações que possibilitem maximizar os resultados do empreendimento.