Com Almir Tavares Lima

Entre pincéis, telas e tintas, é assim que vive Almir Tavares Lima, um construtor imobiliário que tem uma verdadeira paixão pela arte. Quadros com mais de dois metros ocupam toda a casa. São obras que surgiram da necessidade de Almir colorir a vida.
Almir conta que em suas obras mistura estilos dos seus pintores favoritos, tem o cubismo de Picasso, o surrealismo de Salvador Dali, o abstrato de Mondrian. E olha que o único curso que fez foi ainda criança, aos 10 anos. Aprendeu ali a misturar tintas, descobriu técnicas e depois foi experimentando, além dos quadros, também a fazer esculturas com bronze, madeira, metal ou qualquer material que lhe dê inspiração.
Em casa, a esposa Darlene Diniz tenta administrar essa enxurrada artística. Ela conta que tem dias que até as mesas estão cobertas de papéis com desenhos e projetos. “É difícil viver com pintor; eu gosto, acho bonito. Mas é complicado porque ele bagunça tudo com pincéis, papéis e tinta. A qualquer lugar que você vai, tem quadro,” revela.
E olha que se tivesse mais tempo, Almir conta que se dedicaria integralmente aos desenhos. Onde fica a arte no meio do dia a dia em obras, reuniões e planejamento de grandes condomínios? O trabalho diário do construtor imobiliário exige a atenção e concentração em detalhes, e é justamente para buscar o equilíbrio que ele recorre à pintura. “Quando estou com algum problema para resolver, pego logo um pedaço de papel para desenhar, e vou me acalmando, tenho caixas e caixas de desenhos, e projetos que um dia vou colocar numa tela”, explica.
Parte desse rico material já foi longe. Alguns quadros foram vendidos, outros encomendados especialmente e também já participou de exposições em galerias na capital e em outras cidades, além de ter sido selecionado para o Arte Pará, que é o projeto artístico mais importante do estado. Atualmente ele prepara uma exposição que será realizada em Campinas, e depois viaja para exibir seus quadros em Portugal.
No meio de toda essa agitação, Almir só relata a frustração de não poder viver somente disso. Para ele, o ateliê montado no apartamento está ficando pequeno para o universo de ideias e projetos em sua mente. Um construtor imobiliário tímido e autodidata se apaixonou pela arte e por ela diz tudo o que não consegue verbalizar. “Me expresso melhor através dos quadros,” completa.
Se para muitos, pintar é uma terapia, para Almir é mais que isso. “A arte para mim é o oxigênio que eu respiro, sem ela não vivo.”